Yilian Cañizares Quintet

  • Violino e Voz
    Yilian Cañizares
  • Piano
    Daniel Stawinski
  • Contrabaixo
    David Brito
  • Bateria e Percussão
    Cyril Regamey
  • Percussão
    Inor Sotolongo

Out. 07 Sábado – 21h30

  • Origem
    Suíça / Cuba
  • Género
    Jazz

Bio.

Yilian Cañizares cresceu em Havana, no Bairro Vedado, junto à Plaza de la Revolución.  A sua formação musical começou aos sete anos de idade com a entrada na Academia de Música Manuel Saumell para estudar piano e violino.  Na década de 90 venceu por quatro vezes o Concurso Nacional de Violino de Cuba.  Com 14 anos ganha uma bolsa para estudar em Caracas, Venezuela.  Dois anos mais tarde uma masterclass com um professor suíço visitante mudou a sua vida. “Ele disse-me que eu era dotada e encorajou-me a concorrer a um lugar no seu conservatório.  Parte para a Suíça em 2000 onde o seu modo de tocar e técnica atingiram um nível totalmente novo, recebendo, então, vários convites de grandes orquestras.  Fica na Orquestra de Lausanne onde durante seis anos contribui para o sucesso de sinfonias, concertos e óperas.

À procura de um caminho mais criativo, e inspirada no violinista de jazz francês Stéphane Grappelli, deixa a orquestra e reúne um quarteto de músicos da Alemanha, Venezuela e Suíça (e mais tarde Cuba) a que chamou Ochumare (divindade orixá do arco-íris).  Seis meses depois a formação vence a Montreux Jazz Festival Competition.  Em 2011, através do projecto Havana Cultura de Giles Peterson passa a compartilhar o palco com ícones do jazz como Ibrahim Malouf e Omar Sosa.  Mais recentemente, tem cantado em francês e ioruba, a língua de seus antepassados da África Ocidental, enriquecendo as letras com a percussão afro-cubana.

Dois álbuns aclamados, “Ochumare” (2013) e “Invocacion” (2015) consolidaram a reputação de Yilian Cañizares, considerada a “revelação do ano” pelo semanário francês Le Nouvel Observateur.  Com seu carisma, variedade de influências e a facilidade com que canta e toca violino simultaneamente, Cañizares é uma descoberta autêntica.  Uma maravilhosa mistura de jazz ardente, ritmos clássicos e afro-cubanos.

Fonte: http://www.yiliancanizares.com